“Bolinha” passará por tratamento alternativo e não apresentará risco”.

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) acatou o pedido de recurso proferido pelo aposentado José do Carmo Neves, de 94 anos, para impedir que seu cachorro “Bolinha” fosse submetido à eutanásia.

O cachorro de Neves é portador de Leishmaniose Canina, com isso, o Centro de Controle de Zoonoses do município de Pereira Barreto, onde aconteceu o caso, havia pedido o sacrifício do animal em 2016, respaldado por uma portaria que permite a eutanásia.

De acordo com a decisão do Tribunal de Justiça, a equipe do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) do município, constatou, em uma fiscalização de rotina, o diagnóstico positivo para a doença Leishmaniose Canina no cachorro “Bolinha”.

O quadro permitiria a disseminação da doença para outros animais e até para seres humanos, o que fez o centro sustentar a necessidade de recolher o animal. Para o CCZ a eutanásia seria o único tratamento possível, conforme a recomendação do Ministério da Saúde, mas Neves se negou a entregar o cachorro.

Na ocasião, o dono do pet chegou a contestar a decisão de recolher o animal alegando que na verdade o cachorro não teria a doença.

A juíza Renata Meirelles Pedreño, entretanto, determinou efetivamente que o animal fosse recolhido. O dono passou a defender então uma outra possibilidade de tratamento se não a eutanásia.

O desembargador José Luiz Gavião de Almeida determinou portanto que “de fato não tem sentido submeter cães ao holocausto sem tentar tratar os animais doentes, devendo-se preservar os laços afetivos existentes entre os cães e os humanos. Ainda, somente o Brasil, de todos os países em que a doença é endêmica utiliza a eutanásia como solução para o problema, o que indica que não se tem adotado correta Política Pública de Saúde para resolver a questão”.

Outro lado

A prefeitura de Pereira Barreto informou que  ainda não foi notificada da decisão.  No intantou resslatou que “o mais provável é que a prefeitura recorra da decisão, uma vez que a leishmaniose trata-se de um doença que coloca em risco a sáude pública”. E ressaltou que no ano passado, foram registrados no município 476 casos da doença em animais e 2 casos em seres humanos.

*Sob supervisão de Ingrid Alfaya

Descubra as 3 verdades sobre a Leishmaniose aqui!


Dr. Fábio Fidelis
Dr. Fábio Fidelis

Sou amante dos animais desde de criança, minha família tem um grande vinculo com os animais e tenho vários membros da família na profissão de médico veterinário inclusive o meu incrível pai (Dr. Eduardo Costa) o qual tenho extrema admiração! -Conclui o curso de Medicina Veterinária pela UFMG em 2011. - Pós graduação em ultrassonografia em 2012. - Pós graduação em clinica e cirurgia de pequenos animais em 2014. - Pós graduação em anestesiologia em 2014. - Pós graduação em ortopedia em 2014. - Pós graduação em Leishmaniose desde 2015. - Pós graduado em Dermatologia em 2017. - Autor do Livro: O Cão Não É O Vilão - Idealizador do Curso: Os Segredos Da Leishmaniose Canina - Hoje atuo como médico veterinário no Hospital Veterinário Cambuá em Bom Despacho (Minas Gerais) - http://hospitalveterinariocambua.com.br

    4 replies to "TJ-SP proíbe eutanásia de cachorro diagnosticado com Leishmaniose"

    • Noades

      Oi minha cadela esta com Leishmaniose esta tomando milteforam 60 ml tem cura? Ela nao quer comer a 3 das estou procupada me oriente por favor

      • Dr. Fábio Fidelis

        Bom dia Noades, o que é preciso fazer antes do uso do milteforan é o estadiamento da doença, sabendo o estágio da doença no seu animal vamos poder dizer um prognóstico mais certo sobre o tratamento.

        Obrigado pelo contato e conte comigo!

    • Nuno Pina

      Tenho um são bernardo com nove anos e apanhou Leishmaniose aos 2 anos , chegou a niveis altissimos caiu pelo teve fridas e perdeu mais de 1/3 do peso,chegando a pesar 40 Kg depois da negligencia de um veterinario e de ele ter uma crise de fraquesa e ter de ser transportado ao colo para o hospital veterinário, foi internado e tratado, e recuperou, passados 7 anos as análises demosntram que os anticorpos passaram de nivel residual para ,não reactivo o que significa que se curou, que existe cura e que sendo bem tratado controlado e alimentado consegue-se banir a doença, no caso da Leishmaniose eutanásia é um erro.
      Só queria dizer isto, não sejam burros.
      Vejam só como é e está saudavel e bonito. embora já velho.
      https://www.facebook.com/Sebastiao.S.Bernardo/

Deixe seu comentário ou dúvida